Balança pesando qual a melhor alternativa entre comprar ou alugar imóvel

Vale mais a pena comprar ou alugar imóvel? Descubra aqui!

Decidir entre comprar ou alugar imóvel pode ser uma dor de cabeça, não é mesmo? Cada um tem seus prós e contras e, por isso, é preciso pesar na balança o que se encaixa melhor às suas necessidades. Alguns fatores são essenciais na decisão final, como planejamento financeiro, carreira e vida.

Neste artigo, você entenderá os meios para comprar ou alugar, as vantagens de cada um e como escolher o certo para você! Vamos lá?

O que considerar antes de comprar ou alugar imóvel?

Antes de comprar ou alugar imóvel é bom se atentar a alguns pontos. Confira os principais!

Condição financeira

Se o seu desejo é comprar, você pode optar por financiamento ou consórcio. O primeiro é um compromisso com pagamento de parcelas mensais, que envolvem juros e precisa de um valor de entrada. Vale ressaltar que não há financiamento de 100% da propriedade.

Por isso, é preciso preparar o terreno e economizar. Você deve ter no mínimo 20% para a entrada. E, quanto ao pagamento das parcelas, é necessário deixar disponível um saldo de até 30% da sua renda.

No caso de financiamento residencial, as taxas de juros são mais baixas, o que é uma vantagem em benefício do consumidor. É o caso dos programas do Governo Federal e idealizados pelos Estados e Municípios.

Além disso, você pode optar pelo consórcio. Nessa opção, é feito um tipo de poupança, em que uma quantia x será depositada mensalmente à empresa administradora.

Todos os meses, há sorteios e lances que podem antecipar a retirada da carta de crédito. O consórcio de imóveis não tem juros, mas você deve esperar ser contemplado. Ambos, consórcio e financiamento imobiliários, permitem o uso do FGTS.

Dessa forma, caso a mensalidade de um consórcio ou financiamento sejam próximas às de aluguel, considere a possibilidade da compra.

Momento da vida

Para decidir entre comprar ou alugar um imóvel, pense em seu momento atual. Por exemplo, se você busca estabilidade e quer fincar raízes em uma cidade, investir na casa própria é uma boa opção. Agora, se os aspectos da sua vida requerem deslocamentos a outras cidades ou estados, o aluguel é mais viável.

Função do imóvel

Há três objetivos principais na aquisição de uma casa:

  • moradia;
  • locação como obtenção de renda passiva;
  • construção de patrimônio.

Quando o objetivo é a construção de patrimônio, adquirir uma casa é a melhor opção, pois será um espaço para resguardar você e sua família.

Caso deseje gerar renda por meio da locação, é preciso pesquisar o mercado e considerar indicadores como os preços médios de venda na região e o retorno médio de aluguel.

Além disso, considere que o preço da locação varia conforme a demanda e há ainda os custos de manutenção.

Sobre a aquisição de imóveis como investimento, é interessante para investidores com muitas propriedades, que têm capacidade de trabalhar com os altos e baixos do mercado de imóveis.

Momento econômico do país

A economia do Brasil é um critério a considerar no momento de decidir entre comprar ou alugar imóvel, a fim de entender a viabilidade financeira no momento.

Para saber isso, há um cálculo fácil. Avalie quanto renderia o dinheiro referente à compra de propriedade se fosse aplicado em renda fixa. Depois, compare o lucro e o aluguel de uma construção de custo igual. Veja o passo a passo:

  • dividida o preço do aluguel pelo do imóvel. Depois multiplique por 100 (taxa mensal de aluguel relacionada ao preço de mercado do imóvel);
  • compare a taxa de aluguel com a rentabilidade mensal das melhores opções de investimentos conservadores, como Tesouro Direto, CDB, LCI/LCA e outros.

Feito isso, se a taxa de aluguel superar a rentabilidade dos investimentos, é recomendado a compra; caso seja inferior, é melhor alugar o imóvel e utilizar a diferença em aplicações.

Vamos exemplificar um pouco. Considere uma casa de R$ 450 mil alugada por R$ 2,5 mil. Calculando a taxa mensal de aluguel, temos:

  • (2.500/450.000) x 100 = 0,005
  • 0,005 x 100 = 0,5%

Considerando um cenário econômico hipotético em que a taxa básica de juros (Selic) é de 2% e a rentabilidade média fica em torno de 0,16% ao mês nos investimentos de renda fixa, concluímos que vale a pena comprar! A comparação não deixa dúvidas: 0,16% de R$ 450 mil equivale a R$ 720,00, ou seja, bem menor que os R$ 2.500,00 que você pagará mensalmente pelo aluguel.

Quais são as vantagens de comprar?

Antes de escolher entre comprar ou alugar imóvel, vejamos as vantagens em cada situação.

Taxa Selic e valores atrativos

A taxa básica de juros influencia na incidência dos juros sobre os financiamentos imobiliários. Nos últimos 6 anos, a Selic sofreu queda, e assim, era ideal para adquirir um imóvel. 

Agora, o Comitê de Política Monetária (Copom) informou o aumento da taxa básica de juros de 2% para 2,75% ao ano. Apesar disso, a alta não influenciará o mercado imobiliário a curto prazo, então esse continua sendo um ótimo momento para compra de imóveis. 

No consórcio não seria diferente, agora é a hora para oferecer lances maiores e obter sua carta de crédito. Isso porque, a maioria dos imóveis oferecem valores atrativos.

As atividades no setor tendem a aumentar e é esperado que os preços sejam mais competitivos conforme a Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), em estudo realizado em 2020:

  • 97% de 38 das maiores empresas do ramo demonstraram interesse em lançar projetos em 2021;
  • 87% delas acreditam no aumento das vendas.

Personalização

Você pode escolher a propriedade de acordo com o que te agrada e fazer reformas para deixá-lo melhor, com mais espaço e compatível com suas necessidades e desejos.

Investimento seguro

Não há dúvidas de que a residência é um investimento seguro. Aplicações em ações e fundos oscilam conforme o mercado financeiro. O imóvel funciona de modo diferente.

Ainda que o mercado imobiliário enfraqueça, o valor investido em imóveis permanece, por isso a aplicação nesse setor é benéfica e traz menos riscos.

Valorização constante

De modo geral, todo imóvel tem potencial de valorização com o tempo. Por exemplo, uma casa por R$200 mil terá alta no preço em 7 a 10 anos, mesmo com inflação baixa. E, na hipótese de reformas terem sido feitas, o preço de mercado aumentará.

Em áreas residenciais que, com o tempo, se transformam em áreas comerciais, a valorização de imóvel se torna atrativa. Não é raro que empreendedores façam ofertas vantajosas para comprar uma casa, com intuito de ampliar ou montar seu negócio.

Geração de patrimônio

A compra de imóvel sempre será uma geração de patrimônio, o que não acontece com o aluguel, já que você investe, nesse caso, em um bem que não lhe pertence.

Quais são as vantagens de alugar?

O aluguel também tem suas vantagens. Por exemplo, o processo de locação é menos burocrático, mais rápido e simples.

Além disso, o aluguel é mais flexível porque não compromete parte de seu dinheiro com financiamento.

Em certos casos, como já dissemos, é possível pagar um valor menor pelo aluguel do que o parcelamento de um financiamento.

A diferença entre esses valores, você poderá aplicar em algum investimento mais rentável e menos arriscado, preferencialmente de renda fixa. Poderá, inclusive, aplicar em fundos de investimentos imobiliários ou em consórcio de imóveis para, em médio ou longo prazo, adquirir sua casa própria.

Vale reforçar que o importante no momento de escolher entre comprar ou alugar imóvel são suas necessidades, situação atual e planos futuros.

Nesse post, você viu as vantagens de comprar ou alugar imóvel, o que deve ser considerado, além da diferença entre financiamento e consórcio. Então, o conteúdo te ajudou? Deixe seu comentário abaixo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to top
Close Bitnami banner
Bitnami