Fundo de reserva no consórcio: 6 coisas que você precisa saber

Fundo de reserva no consórcio: 6 coisas que você precisa saber

O consórcio é um projeto coletivo, em que, ao final, todos os que contribuíram efetivamente precisam conquistar o objetivo da contratação. Para isso, o fundo de reserva é uma excelente proteção, pois ajuda o grupo a lidar com imprevistos.

No consórcio, as pessoas pagam uma quantia mensal junto à administradora que, pouco a pouco, realiza as contemplações. Porém, se algo foge a esse dia a dia, é preciso ter recursos para resolver o problema.

Receba nossas novidades


    Logo abaixo, respondemos 6 dúvidas sobre o fundo de reserva. Continue a leitura e entenda a importância desse instrumento para trazer segurança e tranquilidade para os quotistas!

    1. O que é fundo de reserva no consórcio?

    O fundo de reserva no consórcio é uma poupança reunida pelo grupo de participantes (quotistas), com o objetivo de lidar com imprevistos. Ela é formada a partir de uma taxa sobre o valor das mensalidades, formando um saldo paralelo ao principal.

    Assim como em nossas vidas, em que devemos pensar em estruturar uma reserva de emergência, o consórcio deve ter esse dinheiro separado do montante principal para apagar incêndios. O que fazer com os inadimplentes? Como arcar com despesas judiciais? Quem pagará as taxas do banco? Para isso tudo, usa-se o fundo de reserva.

    2. Como é feito o cálculo?

    A taxa de fundo de reserva deve estar prevista em contrato, e a administradora vai considerar todos os riscos para definir o valor. Para calcular, é bem simples: divida a taxa pelo número de mensalidades.

    Imagine, por exemplo, um contrato de 60 meses com 3% de taxa. Nessa situação hipotética, haveria um acréscimo de 0,0005% às mensalidades para arcar com o valor.

    Lembre-se de verificar todas as condições do contrato e esclarecer as suas dúvidas antes de fechar.

    3. Qual é a diferença para taxa de juros?

    Essa taxa não deve ser confundida com o pagamento de juros. Se no final ela não for gasta, os valores que sobrarem são devolvidos para os participantes do consórcio.

    O sistema de devolução é a divisão do saldo que sobrar no fundo de reserva pelo número de quotistas. Portanto, não é um recurso que fica com a administradora.

    A organização responsável pela gestão é remunerada com um valor diferente: a taxa de administração. Nessa sim, estão contidos os serviços prestados aos participantes do consórcio.

    4. O que o fundo de reserva cobre?

    Além de definir o que é fundo de reserva no consórcio, a Lei de Consórcios fixa quais são as destinações possíveis desse montante:

    • pagar despesas bancárias;
    • resguardar o grupo contra inadimplentes;
    • cobrir a falta de saldo no fundo principal (usado para fazer as contemplações);
    • arcar com despesas jurídicas em processos e atividades em cartórios, relacionadas ao consórcio;
    • fazer contemplações por sorteio (geralmente quando o valor está em excesso), entregando as cartas de crédito.

    Com as destinações claras, você pode saber para qual lugar vai o dinheiro. Isto é, tudo é feito de maneira transparente, desde a fixação no contrato até a utilização dos recursos.

    5. Como ele é contratado?

    Nem todos os consórcios utilizam o fundo de reserva. Por isso, você deve sempre consultar a proposta de contrato e verificar se a cobrança está ou não presente.

    6. Quais são as vantagens e desvantagens?

    Para fazer uma contratação consciente, é importante conhecer as vantagens e desvantagens do fundo de reserva.

    Desvantagens

    Assim como qualquer serviço, o fundo de reserva tem um custo, que será a taxa sobre a mensalidade. Em alguns casos, será apenas uma questão de esperar o término do consórcio para ter a devolução do valor, mas pode acontecer do saldo ser utilizado diante de imprevistos.

    Vantagens

    A principal vantagem é o custo-benefício. As quantias pagas são baixas, mas formam uma grande reserva porque pegam um pouco de cada participante.

    Além disso, você está protegido contra uma série de problemas e pode acompanhar a destinação dos recursos com transparência. Afinal, segue previsto em lei.

    Sendo assim, se houver a disponibilidade do fundo de reserva junto ao consórcio, considere esse custo-benefício ao decidir pela contratação. É um mecanismo importante para ter uma jornada mais tranquila até alcançar a sua meta financeira.

    Quer aprender mais sobre consórcios e educação financeira? Então, assine nossa newsletter e fique por dentro das boas práticas para gerir o seu patrimônio e conquistar os seus objetivos!

      Blog do Consorcio Blog do Consorcio

      Comentários

      Cadastre-se e receba nossas novidades


        Aviso: Nós usamos cookies para personalizar anúncios e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade Eu Aceito

        Dúvidas, sugestões ou mais informações?

        Deixe sua mensagem no formulário abaixo para entrar em contato conosco. Ficaremos felizes em te ajudar!