Foco em mão masculina assinando papéis

Transferência de consórcio: é possível fazer? Descubra aqui!

Existem diversas formas de realizar investimentos. Porém, imprevistos podem surgir ao longo dos anos. Nesse cenário, é preciso buscar alternativas — e a transferência de consórcio é uma delas.

Ao adquirir uma cota, você está fazendo uma compra planejada para conquistar o bem depois de alguns anos. Contudo, você pode ter dificuldade de continuar com o pagamento, por exemplo, devido à perda do emprego ou à necessidade de aplicar o dinheiro em outra finalidade.

Então, o que fazer para transferir a cota de consórcio? Isso é permitido? Vamos explicar melhor neste post. Confira!

É possível fazer a transferência de consórcio?

Sim. A transferência de consórcio consiste na venda da titularidade da cota, que pode ser contemplada ou em espera. De qualquer forma, a transação deve ser legal e formal, com autorização prévia da administradora de consórcio.

Essa alternativa é buscada por motivos diversos, por exemplo:

  • desejo de comercializar uma cota contemplada;
  • mudança de planos, que leva à desistência do grupo;
  • dificuldades financeiras para continuar o pagamento das parcelas do consórcio.

Passo a passo para fazer a transferência de consórcio

Agora que você sabe que a transferência do consórcio pode ser realizada, chega o momento de entender quais são as etapas para garantir a legalidade da transação. A seguir, listamos o passo a passo. Acompanhe.

Leia o contrato

O primeiro passo é ler o contrato de adesão ao consórcio. Esse documento traz todos os direitos e deveres a serem seguidos e que estão vinculados à carta de crédito. Entre as principais informações estão:

  • valor da carta de crédito;
  • multas por inadimplência;
  • datas de assembleias ordinárias;
  • data de vencimento das parcelas;
  • forma de reajuste da carta de crédito e das parcelas.

Além disso, o contrato informará se a transferência está permitida e quais condições devem ser seguidas. Isso porque nem todas as administradoras autorizam a operação. Também pode ser cobrada uma taxa específica, que está disponibilizada no documento.

Defina um valor

Em seguida, calcule quanto você já pagou no consórcio. Por exemplo, se foram 20 parcelas de R$ 100, foram quitados R$ 2 mil. Apesar dessa contagem manual, o recomendado é conferir o extrato de pagamentos atualizado. Ele é fornecido pela administradora.

Ainda verifique se a cota já foi contemplada. Essa informação é importante, porque determina se o comprador poderá conquistar o bem de forma imediata. No caso dessa possibilidade já existir, verifique o valor relativo à carta de crédito e o saldo devedor atual.

Oferte a cota ao mercado

Depois de reunir todos os dados, comece a ofertar a cota ao mercado. Isso pode ser feito por meio de vários canais, como as suas redes sociais, grupos na internet, amigos, conhecidos, família etc.

Anuncie todas as informações sobre a cota, como valor da carta de crédito, saldo devedor, parcelas quitadas e mais. Nunca apresente dados pessoais no começo da negociação para evitar fraudes.

Além disso, escolha bem o comprador, porque a administradora fará uma análise e poderá recusar a operação. Ao selecionar com cuidado, você evita perda de tempo e de custos.

Negocie a transferência

Chegue a um acordo com o comprador. A negociação deve considerar as vantagens da aquisição da cota contemplada, quando esse for o caso. Além disso, considere as parcelas iniciais já pagas e a correção do valor da carta de crédito, entre outros pontos.

Faça um contrato com o comprador

Assim que a análise das informações pessoais do comprador forem aprovadas, faça um contrato com ele. Essa medida é indicada, mesmo com a transferência oficial sendo feita pela administradora. Afinal, esse documento traz segurança e evita problemas futuros, como cobranças posteriores e riscos jurídicos.

Reúna a documentação

Confira todos os documentos que devem ser apresentados à administradora para fazer a transferência do consórcio. Garanta que todas as etapas sejam feitas para evitar problemas e apresente tudo o que for exigido. Assim, há uma chance maior de o negócio ser fechado.

Seguindo todas essas etapas, você transfere o consórcio sem dificuldades e burocracias. Por isso, vale a pena cumprir o passo a passo e sempre verificar as exigências da administradora.

Transferência x cancelamento de consórcio: quais as diferenças?

Apesar de muitas pessoas confundirem esses termos, eles são diferentes. A transferência de consórcio consiste em vender a cota para outra pessoa com um ágio, ou seja, um valor extra. Portanto, o pagamento é feito na hora.

No cancelamento, acontece de forma diferente. O dinheiro é devolvido de acordo com o que está previsto na legislação. A Lei 11.795/2008 — também chamada de Lei dos Consórcios — determina que:

  • quem participa de grupos constituídos até 5 de fevereiro de 2009 terá sua restituição devolvida somente no final do grupo. Também são incluídas as quantias proporcionais do fundo de reserva;
  • se a participação ocorrer em grupos formados a partir de 6 de fevereiro de 2009, o participante que cancelou o consórcio continua tendo seu número sorteado. Assim que contemplado, ele terá a quantia devolvida. Se não tiver essa sorte, receberá ao final do grupo.

Além disso, a cota contemplada pode ser transferida, mas não cancelada. Isso porque o bem já pode ser aproveitado.

Assim, é possível fazer a transferência de consórcio, desde que de forma legal e autorizada. Dessa forma, você garante que a transação é segura e está sendo feita da forma correta.

Gostou dessa informação? Aproveite e inscreva-se na nossa newsletter para receber mais dicas úteis e informações atualizadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to top
Close Bitnami banner
Bitnami